Cálculo de Rescisão de Contrato de Trabalho - Calcular Rescisão Trabalhista online


Compartilhe com seus amigos

Cálculo de Rescisão - Calcular Rescisão Trabalhista online - Simulador de Rescisão Trabalhista Completo com FGTS e Multa - Calcule e aprenda como fazer o Cálculo Rescisão de Contrato de Trabalho CLT conforme o motivo da Demissão

Anúncios

Para Calcular Rescisão, preencha as informações na calculadora abaixo e clique em Calcular.

No campo Saldo do FGTS; caso não saiba; o simulador calcula o saldo aproximado com multa.

Dúvidas no preenchimento? Tire suas dúvidas antes de calcular.












Os demitidos sem justa causa também têm direito ao Seguro Desemprego no acerto do Cálculo de Rescisão Essa renda não pode ser inferior a um Salário Mínimo

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Para evitar rescisão de contrato de trabalho, Governo publica MP de enfrentamento ao novo Coronavírus(Covid-19)

Com a publicação da MP (Media Provisória) 927/2020, Governo pretende ajudar empresas a enfrentarem a crise causada pelo novo Coronavírus e não demitirem seus empregados. Fora as medidas que as empresas já estão tomando para evitar demissão; através MP 927/2020 o Governo autoriza o empregador a tomar as seguintes ações para evitar rescisão/demissão:

MP (Medida Provisória) 927/2020 para evitar rescisão/demissão devido ao novo Coronavírus (Covid-19)

Artigo 18 - Tratava da Suspensão do Contrato de Trabalho (Revogado)

TELETRABALHO

Art. 4º Durante o estado de calamidade pública a que se refere o art. 1º, o empregador poderá, a seu critério, alterar o regime de trabalho presencial para o teletrabalho, o trabalho remoto ou outro tipo de trabalho a distância e determinar o retorno ao regime de trabalho presencial, independentemente da existência de acordos individuais ou coletivos, dispensado o registro prévio da alteração no contrato individual de trabalho.

§ 1º Para fins do disposto nesta Medida Provisória, considera-se teletrabalho, trabalho remoto ou trabalho a distância a prestação de serviços preponderante ou totalmente fora das dependências do empregador, com a utilização de tecnologias da informação e comunicação que, por sua natureza, não configurem trabalho externo, aplicável o disposto no inciso III do caput do art. 62 da Consolidação das Leis do Trabalho, aprovada pelo Decreto-Lei nº 5.452, de 1943.

§ 2º A alteração de que trata o caput será notificada ao empregado com antecedência de, no mínimo, quarenta e oito horas, por escrito ou por meio eletrônico.

§ 3º As disposições relativas à responsabilidade pela aquisição, pela manutenção ou pelo fornecimento dos equipamentos tecnológicos e da infraestrutura necessária e adequada à prestação do teletrabalho, trabalho remoto ou trabalho a distância e ao reembolso de despesas arcadas pelo empregado serão previstas em contrato escrito, firmado previamente ou no prazo de trinta dias, contado da data da mudança do regime de trabalho.

§ 4º Na hipótese de o empregado não possuir os equipamentos tecnológicos e a infraestrutura necessária e adequada à prestação do teletrabalho, do trabalho remoto ou do trabalho a distância:

I - o empregador poderá fornecer os equipamentos em regime de comodato e pagar por serviços de infraestrutura, que não caracterizarão verba de natureza salarial; ou

II - na impossibilidade do oferecimento do regime de comodato de que trata o inciso I, o período da jornada normal de trabalho será computado como tempo de trabalho à disposição do empregador.

§ 5º O tempo de uso de aplicativos e programas de comunicação fora da jornada de trabalho normal do empregado não constitui tempo à disposição, regime de prontidão ou de sobreaviso, exceto se houver previsão em acordo individual ou coletivo.

Art. 5º Fica permitida a adoção do regime de teletrabalho, trabalho remoto ou trabalho a distância para estagiários e aprendizes, nos termos do disposto neste Capítulo.

fonte: planalto.gov MP ( Medida provisória ) 927/2020

ANTECIPAÇÃO DE FÉRIAS INDIVIDUAIS

Art. 6º Durante o estado de calamidade pública a que se refere o art. 1º, o empregador informará ao empregado sobre a antecipação de suas férias com antecedência de, no mínimo, quarenta e oito horas, por escrito ou por meio eletrônico, com a indicação do período a ser gozado pelo empregado.

§ 1º As férias:

I - não poderão ser gozadas em períodos inferiores a cinco dias corridos; e

II - poderão ser concedidas por ato do empregador, ainda que o período aquisitivo a elas relativo não tenha transcorrido.

§ 2º Adicionalmente, empregado e empregador poderão negociar a antecipação de períodos futuros de férias, mediante acordo individual escrito.

§ 3º Os trabalhadores que pertençam ao grupo de risco do coronavírus (covid-19) serão priorizados para o gozo de férias, individuais ou coletivas, nos termos do disposto neste Capítulo e no Capítulo IV.

Art. 7º Durante o estado de calamidade pública a que se refere o art. 1º, o empregador poderá suspender as férias ou licenças não remuneradas dos profissionais da área de saúde ou daqueles que desempenhem funções essenciais, mediante comunicação formal da decisão ao trabalhador, por escrito ou por meio eletrônico, preferencialmente com antecedência de quarenta e oito horas.

Art. 8º Para as férias concedidas durante o estado de calamidade pública a que se refere o art. 1º, o empregador poderá optar por efetuar o pagamento do adicional de um terço de férias após sua concessão, até a data em que é devida a gratificação natalina prevista no art. 1º da Lei nº 4.749, de 12 de agosto de 1965.

Parágrafo único. O eventual requerimento por parte do empregado de conversão de um terço de férias em abono pecuniário estará sujeito à concordância do empregador, aplicável o prazo a que se refere o caput.

Art. 9º O pagamento da remuneração das férias concedidas em razão do estado de calamidade pública a que se refere o art. 1º poderá ser efetuado até o quinto dia útil do mês subsequente ao início do gozo das férias, não aplicável o disposto no art. 145 da Consolidação das Leis do Trabalho, aprovada pelo Decreto-Lei nº 5.452, de 1943.

Art. 10. Na hipótese de dispensa do empregado, o empregador pagará, juntamente com o pagamento dos haveres rescisórios, os valores ainda não adimplidos relativos às férias

fonte: planalto.gov MP ( Medida provisória ) 927/2020

CONCESSÃO DE FÉRIAS COLETIVAS

Art. 11. Durante o estado de calamidade pública a que se refere o art. 1º, o empregador poderá, a seu critério, conceder férias coletivas e deverá notificar o conjunto de empregados afetados com antecedência de, no mínimo, quarenta e oito horas, não aplicáveis o limite máximo de períodos anuais e o limite mínimo de dias corridos previstos na Consolidação das Leis do Trabalho, aprovada pelo Decreto-Lei nº 5.452, de 1943.

Art. 12. Ficam dispensadas a comunicação prévia ao órgão local do Ministério da Economia e a comunicação aos sindicatos representativos da categoria profissional, de que trata o art. 139 da Consolidação das Leis do Trabalho, aprovada pelo Decreto-Lei nº 5.452, de 1943.

fonte: planalto.gov MP ( Medida provisória ) 927/2020

APROVEITAMENTO E DA ANTECIPAÇÃO DE FERIADOS

Art. 13. Durante o estado de calamidade pública, os empregadores poderão antecipar o gozo de feriados não religiosos federais, estaduais, distritais e municipais e deverão notificar, por escrito ou por meio eletrônico, o conjunto de empregados beneficiados com antecedência de, no mínimo, quarenta e oito horas, mediante indicação expressa dos feriados aproveitados.

§ 1º Os feriados a que se refere o caput poderão ser utilizados para compensação do saldo em banco de horas.

§ 2º O aproveitamento de feriados religiosos dependerá de concordância do empregado, mediante manifestação em acordo individual escrito.

fonte: planalto.gov MP ( Medida provisória ) 927/2020

BANCO DE HORAS

Art. 14. Durante o estado de calamidade pública a que se refere o art. 1º, ficam autorizadas a interrupção das atividades pelo empregador e a constituição de regime especial de compensação de jornada, por meio de banco de horas, em favor do empregador ou do empregado, estabelecido por meio de acordo coletivo ou individual formal, para a compensação no prazo de até dezoito meses, contado da data de encerramento do estado de calamidade pública.

§ 1º A compensação de tempo para recuperação do período interrompido poderá ser feita mediante prorrogação de jornada em até duas horas, que não poderá exceder dez horas diárias.

§ 2º A compensação do saldo de horas poderá ser determinada pelo empregador independentemente de convenção coletiva ou acordo individual ou coletivo.

fonte: planalto.gov MP ( Medida provisória ) 927/2020

SUSPENSÃO DE EXIGÊNCIAS ADMINISTRATIVAS EM SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO

Art. 15. Durante o estado de calamidade pública a que se refere o art. 1º, fica suspensa a obrigatoriedade de realização dos exames médicos ocupacionais, clínicos e complementares, exceto dos exames demissionais.

§ 1º Os exames a que se refere caput serão realizados no prazo de sessenta dias, contado da data de encerramento do estado de calamidade pública.

§ 2º Na hipótese de o médico coordenador de programa de controle médico e saúde ocupacional considerar que a prorrogação representa risco para a saúde do empregado, o médico indicará ao empregador a necessidade de sua realização.

§ 3º O exame demissional poderá ser dispensado caso o exame médico ocupacional mais recente tenha sido realizado há menos de cento e oitenta dias.

Art. 16. Durante o estado de calamidade pública a que se refere o art. 1º, fica suspensa a obrigatoriedade de realização de treinamentos periódicos e eventuais dos atuais empregados, previstos em normas regulamentadoras de segurança e saúde no trabalho.

§ 1º Os treinamentos de que trata o caput serão realizados no prazo de noventa dias, contado da data de encerramento do estado de calamidade pública.

§ 2º Durante o estado de calamidade pública a que se refere o art. 1º, os treinamentos de que trata o caput poderão ser realizados na modalidade de ensino a distância e caberá ao empregador observar os conteúdos práticos, de modo a garantir que as atividades sejam executadas com segurança.

Art. 17. As comissões internas de prevenção de acidentes poderão ser mantidas até o encerramento do estado de calamidade pública e os processos eleitorais em curso poderão ser suspensos.

fonte: planalto.gov MP ( Medida provisória ) 927/2020

DIFERIMENTO DO RECOLHIMENTO DO FUNDO DE GARANTIA DO TEMPO DE SERVIÇO

Art. 19. Fica suspensa a exigibilidade do recolhimento do FGTS pelos empregadores, referente às competências de março, abril e maio de 2020, com vencimento em abril, maio e junho de 2020, respectivamente.

Parágrafo único. Os empregadores poderão fazer uso da prerrogativa prevista no caput independentemente:

I - do número de empregados;

II - do regime de tributação;

III - da natureza jurídica;

IV - do ramo de atividade econômica; e

V - da adesão prévia.

Art. 20. O recolhimento das competências de março, abril e maio de 2020 poderá ser realizado de forma parcelada, sem a incidência da atualização, da multa e dos encargos previstos no art. 22 da Lei nº 8.036, de 11 de maio de 1990.

§ 1º O pagamento das obrigações referentes às competências mencionadas no caput será quitado em até seis parcelas mensais, com vencimento no sétimo dia de cada mês, a partir de julho de 2020, observado o disposto no caput do art. 15 da Lei nº 8.036, de 1990.

§ 2º Para usufruir da prerrogativa prevista no caput, o empregador fica obrigado a declarar as informações, até 20 de junho de 2020, nos termos do disposto no inciso IV do caput do art. 32 da Lei nº 8.212, de 24 de julho de 1991, e no Decreto nº 3.048, de 6 de maio de 1999, observado que:

I - as informações prestadas constituirão declaração e reconhecimento dos créditos delas decorrentes, caracterizarão confissão de débito e constituirão instrumento hábil e suficiente para a cobrança do crédito de FGTS; e

II - os valores não declarados, nos termos do disposto neste parágrafo, serão considerados em atraso, e obrigarão o pagamento integral da multa e dos encargos devidos nos termos do disposto no art. 22 da Lei nº 8.036, de 1990.

Art. 21. Na hipótese de rescisão do contrato de trabalho, a suspensão prevista no art. 19 ficará resolvida e o empregador ficará obrigado:

I - ao recolhimento dos valores correspondentes, sem incidência da multa e dos encargos devidos nos termos do disposto no art. 22 da Lei nº 8.036, de 1990, caso seja efetuado dentro do prazo legal estabelecido para sua realização; e

II - ao depósito dos valores previstos no art. 18 da Lei nº 8.036, de 1990.

Parágrafo único. Na hipótese prevista no caput, as eventuais parcelas vincendas terão sua data de vencimento antecipada para o prazo aplicável ao recolhimento previsto no art. 18 da Lei nº 8.036, de 1990.

Art. 22. As parcelas de que trata o art. 20, caso inadimplidas, estarão sujeitas à multa e aos encargos devidos nos termos do disposto no art. 22 da Lei nº 8.036, de 1990.

Art. 23. Fica suspensa a contagem do prazo prescricional dos débitos relativos a contribuições do FGTS pelo prazo de cento e vinte dias, contado da data de entrada em vigor desta Medida Provisória.

Art. 24. O inadimplemento das parcelas previstas no § 1º do art. 20 ensejará o bloqueio do certificado de regularidade do FGTS.

Art. 25. Os prazos dos certificados de regularidade emitidos anteriormente à data de entrada em vigor desta Medida Provisória serão prorrogados por noventa dias.

Parágrafo único. Os parcelamentos de débito do FGTS em curso que tenham parcelas a vencer nos meses de março, abril e maio não impedirão a emissão de certificado de regularidade.

fonte: planalto.gov MP ( Medida provisória ) 927/2020

22/03/2020

Extraímos os principais trechos da MP (Medida Provisória) 927/2020 que ajuda as empresas enfrentarem a crise gerada pelo Coranavírus, para ler a MP completa acesse:

planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2019-2022/2020/Mpv/mpv927.htm


Cálculo de rescisão tem mudança no desconto INSS

A partir de 01/03/2020 entrou em vigor a nova Tabela INSS, o cálculo desconto INSS sobre as verbas rescisórias passou a ser de forma progressiva, para calcular rescisão o simulador está fazendo da seguinte forma:

  • Rescisão a partir de 01/03/2020 - Tabela INSS Progressiva - Portaria SEPRT 3.659/2020
  • Rescisão de 01/01/2020 até 29/02/2020 - Tabela INSS - portaria 914/2020

fonte: previdencia.gov.br/2020/01/portaria-oficializa-reajuste-de-448-para-beneficios-acima-do-minimo-em-2020/


Na Rescisão sem justa causa o empregador não terá mais que pagar multa adicional de 10% do FGTS

Com a publicação da MP ( Medida Provisória ) pelo Governo, a partir de de janeiro de 2020 fica extinta a multa adicional de 10% do FGTS no caso de demissão sem justa causa. Como funcionava anteriormente:

Quando o empregado era demitido sem justa causa, além dos 40% que o empregador pagava de multa ao empregado, tinha que pagar mais 10% ao Governo. Agora o Governo não vai receber os 10%.

A multa de 40% que os trabalhadores recebem na rescisão sem justa causa não sofreu alterações, continua sendo paga normalmente pelos patrões. Fonte: Ministério da Economia, Planalto.gov - MP-889/2019 - Lei-13.932/2019.


Cálculo de Rescisão

Rescisão é cancelamento ou anulação do contrato de trabalho por algum motivo específico.

Entendendo os itens que fazem parte do Cálculo de Rescisão

Cálculo de Rescisão de Contrato de Trabalho - Calcular Rescisão Trabalhista online

Cálculo de Rescisão de Contrato de Trabalho - Calcular Rescisão Trabalhista online

No Cálculo Rescisão temos:

  1. Motivo da Rescisão;
  2. Saldo de salário;
  3. Décimo terceiro;
  4. Aviso prévio;
  5. Férias;
  6. Descontos: INSS, IRRF;
  7. FGTS

DETALHANDO OS MOTIVOS DO CÁLCULO DE RESCISÃO

Vamos detalhar cada item do Cálculo Rescisão e após; vamos ver os itens que devem ser considerados para calcular uma Rescisão conforme o motivo da demissão.

1 - Motivos de Rescisão de Contrato de Trabalho CLT

Rescisão dispensa sem justa causa

Ocorre quando o empregado é dispensando por vontade da empresa.

Rescisão pedido de demissão

Ocorre quando o empregado pedi demissão da empresa, decide deixar a empresa.

Rescisão dispensa com justa causa

Ocorre quando o empregado é dispensado pela empresa por motivo grave.

Rescisão Término de Contrato de Experiência

Ocorre quando o empregado ou empresa decidem não dar continuidade à relação de trabalho, o contrato de experiência é normalmente de 90 dias.

Rescisão antecipada contrato de experiência pelo empregador

Ocorre quando a empresa resolve demitir o funcionário antes do término do contrato de experiência.

Rescisão antecipada contrato de experiência pelo empregado

Ocorre quando o funcionário pedi demissão da empresa antes do término do contrato de experiência.

Rescisão aposentadoria do empregado

Ocorre quando o empregado se aposenta, começa a receber um benefício do INSS

Rescisão falecimento do empregado

Ocorre quando o empregado entra em óbito

Rescisão demissão de comum acordo

Nova modalidade que surgiu com a reforma trabalhista, comum acordo entre empresa e empregado. fonte: planalto.gov - Lei 13.467 Artigo. 484-A.





2 - Saldo de salário

É o número de dias em que o empregado trabalhou na empresa no mês da rescisão.


3 - Décimo Terceiro

Cálculo Décimo Terceiro

Conhecido também como gratificação de Natal; o pagamento se iniciou com alguns empresários resolveram pagar um salário a mais no final do ano para os trabalhadores que prestaram um bom trabalho. O pagamento Passou a ser obrigatório para todo funcionário que trabalha com carteira assinada. Lei nº 4.090 da CLT.


4 - Aviso prévio

Quando uma das partes(empregado/empregador) deseja rescindir, sem justa causa, o contrato de trabalho, deverá, antecipadamente, notificar à outra parte, através do aviso prévio.

Aviso Prévio Indenizado, quando o empregador determina o desligamento do empregado e efetua o pagamento da parcela relativa ao período e também considera-se indenizado quando o empregado se desliga e o empregador efetua o desconto do valor na rescisão.

Aviso Prévio Trabalhado, o funcionário deverá exercer suas funções dentro da empresa até a data limite do término do aviso, caso não cumpra esse período de trabalho, terá que pagar uma indenização para o empregador ou não receberá pelo último mês de serviço.

Aviso Prévio Proporcional, conforme a nova Lei do Aviso Prévio (Lei nº 12.506/11), em caso de demissão sem justa causa, o aviso prévio deverá ser proporcional aos anos de serviço. Se uma pessoa trabalhou por até 1 ano numa empresa, o aviso prévio continua sendo de 30 dias. Porém, para cada ano a mais de serviço serão acrescidos 3 dias de aviso prévio. o período máximo não deverá ultrapassar os 90 dias.Fonte: planalto.gov


5 - Férias

Período de descanso a que têm direito o funcionário, após um ano(12 meses) de exercício de atividades, período este chamado aquisitivo O sistema efetua o Cálculo de Férias vencidas e o cálculo de Férias proporcionais se houver.


6 - Descontos

INSS

INSS Instituto Nacional de Seguro Social, é um órgão da Previdência Social, responsável por receber as contribuições para a manutenção do Regime Geral da Previdência Social e pelo pagamento da aposentadoria, pensão por morte, auxílio-doença, auxílio-acidente, salário-maternidade e outros benefícios previstos em lei.

Todo funcionário registrado tem o desconto do INSS retido na fonte(na própria empresa que trabalha), a porcentagem de desconto muda conforme a faixa salarial. O Cálculo INSS sobre os salários, (vencimentos) precisa ser de acordo com a Tabela INSS vigente(atual). Calcule o INSS antes do IRRF


IRRF

IRRF Imposto de Renda Retido na Fonte

Todo funcionário registrado tem o desconto do Imposto de Renda IRRF retido na fonte(na própria empresa que trabalha), a porcentagem de desconto muda conforme a faixa salarial. O Cálculo IRRF sobre os salários, (vencimentos) precisa ser feito de acordo com a Tabela IRRF vigente(atual).


7 - FGTS

Fundo de Garantia por Tempo de Serviço

Mensalmente a empresa deposita 8% sobre o salário do empregado numa conta aberta na Caixa Econômica Federal, esse percentual não é descontado do trabalhador. Caso você não preencha o campo FGTS o sistema irá calcular o saldo FGTS aproximado com juros e correção.

Caso queira inserir o saldo exato, criamos um passo a passo para que você possa efetuar a consulta FGTS no site da Caixa Econômica Federal.

Vamos ver como fazer o Cálculo de Rescisão conforme o motivo da Demissão

No Cálculo Rescisão dispensa sem justa causa vamos calcular:

Vencimentos

Saldo de salário, Aviso prévio se selecionado indenizado, Décimo terceiro aviso, Décimo terceiro proporcional, Férias, 1/3 sobre férias vencidas, Férias proporcionais, 1/3 sobre férias proporcionais, Férias indenizadas, 1/3 Sobre férias indenizadas, FGTS

Descontos

INSS, IRPF - Imposto de Renda


Cálculo de Rescisão pedido de demissão

No Cálculo Rescisão pedido de demissão vamos calcular:

Vencimentos

Saldo de salário, Aviso prévio se selecionado indenizado, Décimo terceiro aviso, Décimo terceiro proporcional, Férias, 1/3 sobre férias vencidas, Férias proporcionais, 1/3 sobre férias proporcionais, Férias indenizadas, 1/3 Sobre férias indenizadas

Descontos

INSS, IRPF - Imposto de Renda


Cálculo de Rescisão dispensa com justa causa

No Cálculo Rescisão dispensa com justa causa vamos calcular:

Vencimentos

Saldo de salário, Férias, Férias proporcionais, 1/3 sobre férias proporcionais

Descontos

INSS, IRRF - Imposto de Renda


Cálculo de Rescisão Término de Contrato de Experiência

No cálculo Rescisão Término de Contrato de Experiência vamos calcular:

Vencimentos

Saldo de salário; 13º salário proporcional; Férias proporcionais + 1/3; FGTS

Descontos

INSS, IRRF - Imposto de Renda


Cálculo de Rescisão antecipada contrato de experiência pelo empregador

No Cálculo Rescisão antecipada contrato de experiência pelo empregador vamos calcular:

Vencimentos

Saldo de salário; 13º salário proporcional; Férias proporcionais + 1/3; Indenização por quebra de contrato, FGTS

Descontos

INSS, IRRF - Imposto de Renda


Cálculo de Rescisão antecipada contrato de experiência pelo empregado

No Cálculo Rescisão antecipada contrato de experiência pelo empregado vamos calcular:

Vencimentos

Saldo de salário; 13º salário proporcional; Férias proporcionais + 1/3; FGTS

Descontos

INSS; IRRF - Imposto de Renda; Indenização por quebra de contrato


Cálculo de Rescisão aposentadoria do empregado

Terá direito ao recebimento de todas as verbas decorrentes de seu trabalho:

Em caso de ruptura do contrato de trabalho, sem motivo justo e por iniciativa do empregador, terá multa de 40% sobre o saldo FGTS.

Fundamentação: artigo 18, § 1º da Lei nº 8.036/1990; artigo 9º, § 1º do Decreto nº 99.684/1990 da CLT. Fonte:planalto.gov

No Cálculo Rescisão aposentadoria do empregado vamos calcular:

Vencimentos

Saldo de salário; 13º salário proporcional; Férias proporcionais + 1/3; FGTS

Descontos

INSS; IRRF - Imposto de Renda


Cálculo de Rescisão falecimento do empregado

No Cálculo Rescisão falecimento do empregado vamos calcular:

Vencimentos

Saldo de salário; 13º salário proporcional; Férias proporcionais + 1/3; FGTS

Descontos

INSS; IRRF - Imposto de Renda


Cálculo de Rescisão demissão de comum acordo

No Cálculo Rescisão demissão de comum acordo vamos calcular:

Vencimentos

Saldo de salário; 13º salário proporcional; Férias proporcionais + 1/3; FGTS

Descontos

INSS; IRRF - Imposto de Renda


Simulador de Cálculo de Rescisão

No Termo de Rescisão ou na sua Carteira Profissional você encontra as informações para simular a rescisão:

Data de admissão é data que entrou na empresa.

Data de demissão é data que saiu da empresa; foi demitido.

Motivo da Rescisão; Selecione um dos motivos no combo

Último salário; consta na sua carteira profissional ou no último holerite.

Aviso prévio; Selecione Indenizado ou trabalhado.

Férias vencidas; Selecione Sim ou Não.

Saldo do FGTS: Você obtém no extrato que recebe mensalmente ou consultando no site da Caixa Economica Federal; se não preencher esse campo o sistema calcula o saldo aproximado com multa e correção monetária.

Calcular Rescisão

O Simulador faz o cálculo de Rescisão com FGTS e Multa aproximada. O cálculo exato é confirmado pelo sindicato e contador habilitado


Anúncios